7 dicas para escolher fornecedores

Selecionar fornecedores pode ser uma tarefa mais complicada do que parece, principalmente quando se é necessário atingir diversos critérios ao mesmo tempo, como custo, qualidade e velocidade. Confira nesse artigo algumas dicas.

Renata Parma
Gestão

Sua empresa precisa de insumos para a produção dos itens que ela vende, e você não consegue ter um controle total de toda a cadeia de suprimentos para que esses insumos cheguem a tempo e com o menor custo possível.

Quem é dono de um negócio sabe muito bem que antes de um produto e/ou serviço chegar até o consumidor, são necessárias algumas fases na produção.

Dentre essas etapas, está a de escolher os fornecedores, sendo esta uma tarefa de extrema importância para a companhia.

Selecionar fornecedores envolve uma série de critérios que devem ser levados em conta, como custo, tempo de entrega, prazo para pagamento, qualidade e até mesmo sua política de estoque e fluxo de caixa.

Pode haver ainda fatores emocionais e comportamentais envolvidos, como confiança e atendimento, afinal, as empresas são compostas por seres humanos.

Como os fornecedores são as pessoas/empresas que vão enviar a matéria-prima para a confecção dos produtos que você vende no seu estabelecimento, é fácil chegar a conclusão de que sem materiais de qualidade - ou mesmo na falta deles, o seu empreendimento pode se sair prejudicado.

Tendo isso em vista, fica evidente que a escolha dos fornecedores precisa ser feita com atenção, a fim de não gerar problemas no fluxo produtivo, comprometendo o andamento do seu negócio.

Por isso, no artigo de hoje trouxemos 7 dicas de como você, empresário, pode fazer uma escolha assertiva dos seus fornecedores. Continue a leitura!

1. Escolha fornecedores com objetivos parecidos com os seus

Manter um relacionamento saudável entre a sua empresa e a de quem fornece sua matéria-prima é essencial, pois isso evita que as instituições ‘batam de frente’ em questões como identidade da marca.

Assim, procure empresas que tenham objetivos parecidos com os ideais do seu empreendimento, de forma a prevenir atritos entre o que o seu negócio entrega no mercado.

Por exemplo: se você tem uma marca que promove a proteção dos animais, não utilizando o couro animal, é primordial que o fornecedor escolhido não trabalhe com materiais à base de couro de onça, por exemplo.

Nesse caso, é preciso selecionar as companhias que ofereçam um elemento que agrida a natureza, isto é, usando um couro ecológico/vegano.

Se, por exemplo, a sua empresa acredita e prega valores de qualidade, comprar insumos de um fornecedor conhecido por não se atentar a padrões de qualidade pode minar a reputação do seu negócio e levar os clientes a acreditarem que você não realmente acredita no que fala e que é apenas uma jogada de marketing.

Com a internet e as mídias sociais, as empresas precisam tomar ainda mais cuidados com seus critérios, pois essas atitudes podem facilmente se tornar um grande problema de relações públicas.

2. Elabore um orçamento e as possibilidades de lucro

Uma conta simples de matemática já deixa claro que não se pode gastar um total X e lucrar mais que esse valor, porque se isso acontecer, vai haver prejuízos. Na escolha de um abastecedor, não é diferente.

Desse modo, é necessário fazer orçamentos com os candidatos a fornecedores, com o objetivo de saber qual deles oferecem o melhor custo-benefício.

A lógica aqui é fechar parceria com produtos de valor, mas que não sejam caros demais para o seu bolso.

Portanto, não deixe de colocar na ponta do lápis quais as propostas são as mais adequadas no momento, de acordo com a situação econômica do seu caixa.

3. Especifique o que você necessita

Apesar do fornecedor oferecer o mesmo produto a todas as empresas de um dado setor, ainda assim é primordial citar que cada uma delas tem uma expectativa e perspectiva de venda diferente.

Desse jeito, mesmo que você considere um fornecedor em específico e ele já atue no mercado há um certo tempo, é importante explicar as especificidades que o seu negócio espera daquele material, o qual será usado na produção dos seus itens/serviços.

Então, antes de fechar um acordo, explique ao produtor de suprimentos sobre como funciona sua empresa, bem como os prazos para envio das remessas e o que de fato precisa ser mandado pela pessoa fornecedora.

4. Busque uma empresa com uma comunicação clara

Uma grande parte dos problemas entre empresários e fornecedores é justamente a escassez de uma comunicação transparente e clara entre as duas partes.

E o pior, é que isso prejudica bastante não só o relacionamento entre as duas empresas, mas principalmente o tempo de produção e a natureza dos insumos.

Nessa perspectiva, é fundamental levar em conta que muitas coisas ao longo da cadeia de produção fogem do controle do empresário.Logo, como isso é inevitável, é necessário, ao menos, tomar ações que estejam ao nosso alcance.

E uma dessas ações é possuir um bom quadro de fornecedores, os quais sejam abertos ao diálogo, porque só assim podem ser tomadas decisões mais assertivas em conjunto, resolvendo ou, no mínimo, minimizando o problema.

5. Verifique a qualidade da matéria-prima

Nessa etapa é imprescindível um cuidado especial, uma vez que se você promete entregar um produto e/ou serviço de qualidade, é natural que os seus suprimentos devam também ser de qualidade.

Dessa forma, não é bom arriscar com produtos similares ou muito diferentes do que você solicitou. 

Diante disso, tenha total atenção nessa fase, pois um erro de percurso pode levar sua empresa a um grande prejuízo, ao oferecer uma peça diferente do que foi prometido.

6. Pesquise sobre a imagem do fornecedor 

Se você gostou do perfil de um determinado fornecedor, é hora de tirar a prova se esse profissional é a pessoa certa para fornecer a sua matéria-prima. 

Nesse caso, não hesite em ligar para empresas parceiras que já trabalham com esse colaborador para atestar a veracidade das informações prestadas por ele.

Não esqueça de considerar o tempo de atuação dele no mercado, pois isso tem muito a dizer sobre a forma de trabalho dele.

Por fim, uma pesquisa na internet pode ser igualmente útil nessa tarefa, no intuito de avaliar se o profissional tem boas recomendações na rede.

7. Faça parcerias com mais de um fornecedor

Mesmo que você já tenha escolhido um fornecedor, nunca deixe de ter um plano B, afinal de contas, ninguém está a salvo de sofrer atrasos, problemas com transporte e demais imprevistos.

Portanto, conte sempre com mais de um uma pessoa para fornecer seus insumos, de forma a prevenir o seu negócio dessas situações desagradáveis.

Não contar com uma segunda opção pode fazer com que você atrase sua operação e deixe clientes esperando e insatisfeitos.

Conclusão

Como pudemos perceber, ao escolher fornecedores o empreendedor não está apenas cumprindo uma tarefa logística, pois além de trazer a matéria-prima para a sua empresa, esse profissional tem uma relevância bastante importante para o seu negócio.

Isso porque a partir da qualidade dos materiais dele que os seus serão entregues; ou seja, esse acordo funciona como uma via de mão dupla, onde um depende do outro para ofertar seu serviços. 

Por isso mesmo é que essa parceria comercial deve ser feita com cautela e com base em dados verídicos. Assim, para manter o seu estoque sob controle, é vital que a sua empresa conte com fornecedores confiáveis e que entreguem materiais de qualidade.

E se você precisa de uma ferramenta que realize todo o controle das suas entradas e saídas de matéria-prima, garantindo uma boa operação do negócio, não deixe de contar com um sistema simples e inteligente como o Sensio ERP, com módulos totalmente integrados para um dia a dia mais eficiente na sua empresa. Conheça o Sensio e faça um teste grátis.

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.