7 dicas para contratar funcionários

Pensando em contratar novos funcionários? Então confere só algumas dicas para você fazer essa escolha de forma assertiva!

Renata Parma
Estratégia

Sua empresa está com uma demanda por um profissional.

Você acredita que, por ser um pequeno negócio e já ter mil e uma atribuições, não pode perder muito tempo nem gastar muito dinheiro com o processo de seleção e contratação.

Então analisa algumas opções e toma sua decisão, para depois de alguns meses perceber que a pessoa contratada não se encaixa bem ao perfil procurado.

É um cenário muito comum em pequenas e médias empresas, e que acaba causando muitos problemas e acarretando custos "escondidos". O barato sai caro.

Realmente, não é preciso contratar uma firma especializada em recrutamento nem gastar rios de dinheiro para preencher vagas em pequenos negócios.

Porém, um processo estruturado e eficiente vai te poupar tempo e dinheiro no futuro, mesmo que a princípio pareça mais custoso.

Para uma instituição obter sucesso no mercado, sem dúvida é essencial o empenho e o alinhamento dos profissionais que dela fazem parte. São eles que vestem a camisa da empresa e a representam no mundo corporativo.

Dessa forma, não tem como pensarmos em sucesso empresarial sem mencionar o desempenho dos funcionários. Por isso mesmo, o processo de recrutamento e seleção deve ser bem criterioso e eficiente, no intuito de a organização captar os melhores colaboradores e continuar sendo ágil.

Pensando nisso, preparamos essas 07 dicas, para que sua empresa consiga contratar novos funcionários otimizando tempo e valorizando as competências de cada um, de acordo com as vagas em aberto. Vamos lá?


1. Estabeleça o perfil do profissional

Apesar desse passo parecer algo que deveria ser rotina, infelizmente algumas companhias estão falhando nesse quesito, o que por sua vez, prejudica e muito no processo de seleção.

Esse fator é o primeiro que deve ser levado em conta ao lançar um cargo no mercado, pois é a partir dessa premissa original que as próximas etapas serão efetivadas. 

Sendo assim, estabeleça alguns princípios básicos que o candidato deve possuir para ocupar a função disponível, como uma competência específica ou uma dada experiência profissional em algum setor, por exemplo.

Um dos critérios mais importantes nesse momento, mais até do que as habilidades ou experiências do candidato, é o alinhamento dos valores dele com os da empresa.

Essa é uma das maiores causas de problemas no futuro. O funcionário que é ótimo para uma outra empresa não necessariamente também o é para a sua.

Portanto, analise bem se o candidato se alinha com o modo como sua empresa opera, como você e os outros funcionários trabalham, e evite desgastes desnecessários.

2. Estruture como será a seleção dos candidatos

Após estabelecer o tipo de profissional que sua empresa quer ter em seu banco de empregados, é momento de definir como será feita a seleção das pessoas interessadas no posto de trabalho.

Logo, procure firmar os métodos de recrutamento que vão ser usados, e aqui não há uma regra: pode ser teste escrito, dinâmicas de grupos, testes práticos, e a tão conhecida entrevista de emprego.

Para tomar a melhor decisão, é interessante aplicar métodos combinados para constatar a competência do candidato em uma dada função. 

Por outro lado, em algumas colocações, é mais viável aplicar um teste em específico a fim de determinar a capacidade do concorrente em executar tarefas inerentes à função pretendida.

É sempre bom lembrar também que, com um treinamento adequado, um candidato pode se tornar em pouco tempo um funcionário melhor do que outro com experiência prévia.

Portanto, se você dispõe de tempo para esperar que o novo funcionário se adeque, pense nessa questão. Ela pode ser muito acertada a longo prazo.

3. Atente-se aos valores do profissional

Essa questão já comentada é tão importante que separamos uma dica só para ela.

Muitas pessoas dizem que o trabalho é a nossa segunda casa, tanto porque passamos boa parte do nosso tempo no ambiente laboral, assim como pelo fato de que é nesse espaço onde desenvolvemos nossos valores e aspirações.

Porém, é fato que todos pensamos de formas distintas e cada um tem um ideal de vida, uma maneira de enxergar as coisas. E engana-se quem pensa que isso se aplica somente no aspecto pessoal.

Deste modo, toda instituição possui, mesmo que não esteja explícito, um regimento interno normas de conduta, valores e uma missão, ou seja, algumas diretrizes que funcionam como um norte para a tomada de decisões e o enfrentamento de desafios. 

Logo, é essencial que os valores de vida dos empregados não conflitem muito com os ideais da instituição, porque isso uma hora ou outra pode comprometer o desempenho do colaborador.

Existem pessoas que podem amar trabalhar em um lugar, enquanto outras, nas mesmas condições, não se sentem bem. É o chamado "fit" entre empresa e colaborador, e é importantíssimo observar isso antes da contratação.

4. Use as redes sociais para divulgação

Antes de efetivamente lançar as vagas no mercado, é importante planejar os melhores meios de divulgação para o posto que sua empresa deseja ocupar. Para tal, uma boa opção é investir na divulgação nas redes sociais, principalmente no LinkedIn.

Considerada uma rede para compartilhar experiências profissionais, o LinkedIn é uma excelente vitrine para os mais diversos tipos de trabalhadores. 

Nesse meio de divulgação, os perfis expõem, além das suas experiências corporativas, informações como cursos realizados, habilidades laborais e até mesmo indicações de colegas e/ou líderes empresariais.

O Twitter e o Facebook também podem ser usados no sentido de pesquisar a vida do candidato, uma vez que os seus valores podem ser bem diferentes daqueles pedidos pela instituição. Nesse ponto, deve-se tomar muito cuidado e saber separar a vida profissional da vida pessoal do candidato.

5. Dê chance a quem não tem experiência

Uma situação que ocorre bastante nos dias atuais é o grande número de pessoas em busca do tão sonhado primeiro emprego, ocasião esta que causa frustrações, dado que os empregadores valorizam mais quem já tem experiências no currículo.

Todavia, ainda que não seja uma regra, os contratantes geralmente preferem apostar em alguém que já exerceu alguma função igual ao semelhante àquela descrita na vaga em aberto.

A boa notícia, é que nem sempre a experiência é um fator-chave para novas contratações. Parece até uma constatação boba, mas se pararmos para pensar, o que seriam dos profissionais tidos hoje como experientes, se alguém um dia não os tivesse dado uma primeira chance?

Portanto, é viável sim apostar em pessoas que ainda não possuem tanta prática de trabalho mas que têm o desejo de desempenhar suas competências de forma eficiente. 

O chamado "brilho nos olhos" pode ser um diferencial muito maior do que um currículo com algumas experiências.

Para tal, é proveitoso captar novos talentos advindos de cursos técnicos e/ou recém-formados. Outra boa alternativa é fechar parcerias com instituições de ensino para programas como trainees e jovem aprendiz.

Com certeza, esses jovens talentos possuem muitas ideias inovadoras que podem fazer a diferença no corpo da organização, trazendo coisas novas e pontos de vista diferentes, que podem ser aproveitados em um mundo que muda cada vez mais rápido.

6. Valorize indicações

Ainda que hoje existam diversos softwares inteligentes para contratação de pessoal, a cultura da indicação é bem vista pelos empregadores, principalmente se essa indicação partir de um funcionário competente e que já faz parte da empresa há mais tempo.

A indicação de um contato possibilita menores custos referentes ao processo seletivo, porém essa escolha precisa ser feita com cautela, até porque uma contratação errônea pode atrasar as metas da instituição.

Por isso, é sempre importante buscar referências sobre o profissional indicado, no intuito de se certificar que ele é a pessoa adequada para ocupar a colocação.

Atente novamente aqui para o "fit" entre empresa e colaborador nos empregos anteriores: uma experiência ruim não quer dizer que o candidato é ruim e uma experiência boa não quer dizer que o candidato é bom. Esse é só um dos fatores a serem levados em conta na decisão.

7. Aposte na recontratação de pessoal

Essa técnica também reduz alguns custos na seleção, pelo fato de que algumas habilidades e/ou competências já são conhecidas pelos gestores da empresa. Assim sendo, também é vantajoso apostar em pessoas que já fizeram parte do quadro de colaboradores do estabelecimento.

Claro que só funciona se o colaborador teve uma boa experiência dentro da sua empresa. Recontratar alguém que foi demitido por não desempenhar bem suas funções ou não estar alinhado com os valores do negócio não faz sentido.

Um problema que pode haver é o trabalhador não querer voltar para a empresa. Caso isso ocorra, procure demonstrar os diferenciais da instituição frente aos concorrentes e, em última alternativa, ofereça vantagens, como um salário maior, por exemplo.


Conclusão

Como pudemos perceber, contratar novos funcionários é uma tarefa de extrema importância ao sucesso de qualquer instituição, afinal o capital humano é um fator de grande peso nas decisões e atividades da instituição.

Tendo isso em conta, esperamos que com as dicas que oferecemos, você consiga contratar colaboradores eficientes e capacitados para entregar melhores resultados e, principalmente, de maneira a destacar sua empresa no mercado corporativo.

E se o seu negócio precisa de um sistema de gestão simples e inteligente, voltado para pequenas empresas, conheça o Sensio ERP e faça um teste grátis.

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Thank you! Your submission has been received!
Oops! Something went wrong while submitting the form.