9 erros mais comuns de quem está abrindo uma empresa

A abrir uma empresa é um processo que requer muita atenção e dedicação do empresário. São vários os aspectos que devem ser bem pensados e planejados para que os resultados operacionais sejam mais assertivos. Preparamos esse artigo para te apresentar os 9 erros mais comuns de quem está iniciando o seu negocio. Confira!

Luiz Pires
Gestão

Seja para ter uma renda extra ou para possuir a tão sonhada independência financeira, abrir uma empresa é um caminho que leva muitas pessoas ao sucesso profissional.

Porém, nem sempre começar uma empresa é tão simples, afinal, até mesmo grandes empresários estão passíveis a erros, imagine quem está começando agora.

Por isso, é importante conhecer as falhas que podem prejudicar o andamento do seu negócio nesse começo para evitar problemas maiores.

Pensando nisso, fizemos uma lista com alguns dos principais erros cometidos por quem está começando no empreendedorismo. 

Nosso objetivo é ajudar você que está em busca das melhores práticas ao abrir uma empresa. Continue a leitura e acompanhe 5 erros comuns – e como não fazê-los! 

1. Atuar na informalidade

Quem nunca ouviu falar de uma empresa que atua na informalidade aqui no Brasil? Não é difícil achar alguém que prefere fugir dos impostos do que legalizar suas atividades. 

Novos empreendedores se veem tentados a agirem dessa forma por várias razões, mas nenhuma delas é motivo razoável para isso. A verdade é que sem a formalização o negócio fica impedido de crescer. 

Com o CPNJ, por exemplo, haverá a possibilidade de emitir nota fiscal, abrir conta bancária para pessoa jurídica, possuir máquinas de cartão de crédito, solicitar empréstimos públicos a juros mais baixos e ter mais ferramentas que fomentem o crescimento de uma empresa à sua disposição . 

Além disso, na informalidade, suas atividades serão sempre encaradas como algo pouco profissional e improvisado. O que isso significa? Perda de mercado e de vendas!

2. Não ter um plano de negócios

Peça fundamental de qualquer projeto, o plano de negócios é um documento a ser feito antes de abrir a empresa.

O plano de negócios demarca as ações e tarefas que deverão ser cumpridas a curto, médio e a longo prazo. As metas são etapas do caminho de um empreendedor de valor. 

Sem dúvidas, é preciso saber aonde se quer chegar, até para ter uma direção na hora que as oportunidades surgirem.

O importante é que essas metas sejam realistas, claras e detalhadas, com um prazo para executá-las. Isso ajuda a dimensionar os impasses e soluções em prol dos objetivos almejados.

Também é primordial definir valores necessários para chegar ao projeto traçado no plano.

Enfim, se você quer começar a empresa com o pé direito, elabore um bom plano de negócios!

3. Não conhecer bem o seu público-alvo

Conhecer qual o público consumidor da sua marca é o passo mais recomendado para ter sucesso com a potencial clientela.

Um erro bastante comum de quem está abrindo empresa é achar que todo mundo vai procurar por seu produto ou serviço, quando na verdade é preciso, primeiramente, saber segmentar o tipo de “pessoa ideal” que vai se interessar por sua empresa.

Uma vez que você saiba qual a real necessidade do consumidor, fica muito mais fácil oferecer produtos e soluções personalizadas, que vão satisfazer aos desejos desse cliente.

Com isso, são grandes as chances desse cliente gostar do seu produto e se tornar fiel ao negócio.

E o melhor, ele ainda fará propaganda gratuita da sua empresa, ao indicá-la para amigos e conhecidos.

No final, fica aquele ditado como lição: “Quem atira para todos os lados, acaba não acertando em nenhum”. Pense nisso sempre!

4. Falta de capacitação

Boa parte dos novos empreendedores acreditam que podem levar uma empresa adiante apenas com base em conhecimento técnico. Porém, isso é um erro! 

Um engenheiro, por exemplo, tem conhecimento e sabe como construir um prédio, mas será que ele tem capacidade de fazer uma boa gestão da sua construtora, construindo uma relação duradoura e eficiente com toda equipe?

A resposta para essa pergunta é relativa, mas se não souber aplicar técnicas corretas de administração, o empresário corre o risco de ver o negócio afundar. E esse é exatamente o objetivo da capacitação: desenvolvimento profissional e pessoal.

Por isso, empreendedores treinados tendem a adquirir novas habilidades e melhorar seu desempenho em suas funções.

5. Perder muito tempo em planilhas de controle financeiro

Sabia que tem muita gente que ainda quebra a cabeça com planilhas manuais ao invés de ter um sistema que automatize o controle financeiro?

Pois bem, isso é verdade, ainda que traga mais prejuízos do que se possa imaginar.

A falta de gestão dos recursos reflete na saúde financeira de seu estabelecimento. Logo, procure se capacitar sobre as melhores práticas acerca do uso do capital.

O Brasil figura entre os países com maior carga tributária sobre as empresas, o que demanda que saibamos pelo menos o básico sobre como controlar os valores que entram e saem do negócio.

Isso é essencial para tomar decisões assertivas e planejar ações futuras, além de ser extremamente útil para pagar os impostos e taxas corretamente.

Nesse sentido, para que perder tempo com planilhas de papel que são difíceis de entender, sendo que existem sistemas que geram relatórios de desempenho sobre o andamento do seu empreendimento?

Então, para evitar mais esse erro comum, é interessante considerar a aquisição desse recurso não como um gasto, mas como um grande investimento.

6. Não negociar com fornecedores

Cortar gastos e economizar ao máximo: o empreendedor que pensa assim vai longe!

Uma forma de atingir essa economia é negociar com seus fornecedores, prazos e condições melhores de pagamento. Esse tipo de estratégia é importante para quem quer conseguir aproveitar melhor os recursos. 

Além disso, se a empresa tem um bom fluxo de caixa, ela consegue fazer compras grandes pagando à vista. Isso significa custos menores na hora de repor o estoque e lucros mais altos no momento das vendas. 

Nesse caso, sempre pesquise vários fornecedores e negocie com eles na busca do melhor preço. 

7. Trabalhar sem gerenciamento de estoque

Independente se a sua empresa será física ou online, o gerenciamento de estoque não pode ser deixado de lado em hipótese alguma, isso porque ele é um elemento muito relevante do processo logístico.

Tanto é que, seja um MEI ou uma microempresa, o empresário tem ciência de que se está vendendo, precisa ter mercadoria pronta para entregar, certo?

Sendo assim, é vital que se tenha o controle do estoque disponível, de forma que não faltem itens para saída nem excessos que possam ser perdidos.

O ramo alimentício, por exemplo, é um que necessita de um acompanhamento ainda mais amplo, já que os produtos têm um vencimento bem demarcado.

Igualmente, temos a classe farmacêutica, a qual possui diversos medicamentos com certo prazo de validade. Logo, dê prioridade a essa questão no seu estabelecimento.

8. Se embolar com contabilidade

Os documentos fiscais podem se tornar uma verdadeira “pegadinha” caso o gestor não saiba manusear essa parte do negócio.

O ideal é que os pequenos empreendedores, como o MEI, por exemplo, tenham pelo menos um contador e um advogado para elaborar contratos, ainda que ele não possua obrigação legal de contratar esses profissionais.

Você também pode gostar:
Diferenças entre MEI e Simples Nacional
Guia completo de MEI

Mas, sabendo que certas falhas podem ser fatais para a permanência da empresa no mercado, é pontual não relaxar.

Afinal, o Fisco e a Previdência Social monitoram o cumprimento das leis trabalhistas e contábeis, daí a relevância de ter pessoas preparadas para cuidar disso.

Uma boa dica para quem está abrindo empresa é procurar ajuda do Sebrae local – até pelas poucas exigências – e, quando possível, optar por contratar um contador e/ou advogado. 

9. Confusão patrimonial

O erro mais comum em empresas de pequeno porte é a confusão patrimonial. Afinal, quando um empresário usa o dinheiro da empresa para pagar despesas pessoais, como fatura do cartão de crédito, a escola dos filhos e as contas da casa, fica difícil entender qual é real situação da empresa. 

Para resolver esse problema, um bom administrador deve fixar uma retirada mensal, tecnicamente chamada de pró-labore e encará-la como um salário. A possibilidade de saques extras deve ser descartada e os recursos devem ser aplicados na própria empresa, para que ela tenha condições de crescer de forma saudável e segura. 

A tecnologia é essencial para não cometer erros ao abrir empresa

Se dedicar ao empreendedorismo tem muitos desafios, mas pode ser bastante recompensador. 

Assim, se você atentar em não cometer os 5 erros de quem está abrindo empresa, com certeza tem maiores chances de alcançar o êxito do seu negócio.

Caso você já saiba qual tipo de empreendimento vai investir, agora é a hora mais importante da sua trajetória profissional. 

Lembre de seguir as dicas que demos ao longo deste artigo, pois assim você começa com o pé direito!

As melhores práticas de mercado são adquiridas na prática, isso é fato, mas até que o gestor ganhe experiência, o mínimo que ele pode fazer é não descuidar desses erros. 

E uma forma de fazer isso é contando com um sistema de gestão integrado, como o Sensio ERP. Nosso sistema é completo, fácil de usar e possui um valor bem acessível, com destaque para o Plano Básico, que custa apenas R$99/mês.

Além disso, o Sensio ERP é um sistema de gestão recomendado pelo SEBRAE MG, como um software aprovado para a evolução do empreendedor. Conheça mais sobre essa parceria acessando esse link!

Até a próxima!

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Obrigado! Logo você irá começar a receber nosso conteúdo
Oops! Something went wrong while submitting the form.