5 desafios comuns a pequenas indústrias

A gestão de uma fábrica enfrenta muitos desafios, mas que podem ser vencidos com planejamento e ações específicas. Separamos aqui alguns desafios comuns a pequenas fábricas e o que fazer em cada situação.

Luiz Pires
Produção

As pequenas indústrias formam a base de muitos itens que consumimos no dia a dia, e representam uma grande parcela da economia.

Entretanto, administrar uma pequena fábrica não é uma tarefa trivial. Recursos financeiros limitados, mão-de-obra especializada não disponível e uma taxa baixa de automação são alguns dos elementos que tornam a vida do pequeno empresário mais complicada, principalmente para competir com as grandes corporações.

E apesar de todos as dificuldades, as pequenas empresas podem sim atingir grandes resultados e serem muito lucrativas, desde que bem administradas e que alguns desafios sejam vencidos.

Você sabe quais são os desafios comuns a pequenas indústrias? 

Não? Então, antes de tudo, entenda melhor a importância desse formato de empresa.

Para começar, a indústria representa uma grande parcela da economia brasileira. 

Segundo dados do Portal da Indústria, datados em junho/2021, todas as indústrias do país acumulam 20,4% do PIB brasileiro. Além disso, 69,2% das exportações de bens e serviços são gerados pela indústria.

Isso mostra a grande importância desse setor para o desempenho do país, o que ressalta ainda mais seu papel de valor perante a sociedade em geral.

Porém, assim como qualquer outro tipo de empreendimento, uma pequena indústria tem seus altos e baixos, principalmente no Brasil, um país com uma alta taxa de encargos fiscais.

Por essas e outras razões, hoje vamos explicar 5 desafios comuns a pequenas indústrias e, na medida do possível, o que os gestores e equipe podem fazer para reverter essa situação.

1. Apagar incêndios e deixar o planejamento de lado

Os “incêndios” são aqueles pequenos problemas e imprevistos que aparecem de vez em quando, mas que deixam um enorme prejuízo ao empresário, principalmente se não forem resolvidos com eficiência.

Isso acontece, porque além de tomar o tempo do gestor, esses incidentes atrapalham o planejamento estratégico da indústria, o que torna a empresa sem perspectivas de crescimento a curto e médio prazo.

O que fazer?

Primeiro é preciso identificar o motivo de tantos incêndios. Em geral, a maior causa é a falta de credibilidade do gestor para com seus funcionários. 

Assim, ele fica sempre em alerta, preocupado em resolver atividades operacionais que poderiam ser feitas por outras pessoas.

Logo, o recomendado neste caso seria distribuir as tarefas para a equipe, deixando-os responsáveis por aquilo que estão de fato preparados. 

Aqui vale investir em cursos de capacitação a fim de tornar esses profissionais mais seguros e confiantes na execução de suas tarefas.

Em segundo lugar, outro fator que atrapalha o planejamento estratégico é justamente o fato de o gestor ter medo de realizar tal tarefa, uma vez que essa atividade não é tão comum quanto às ações operacionais.

Então, para que o empresário saia da “zona de conforto" e comece a enfrentar os desafios estratégicos, é preciso estudar e desenvolver esse tipo de habilidade.

Afinal, somente com a prática diária, esse medo do novo pode ir dando vez à autoconfiança em tomar novas decisões.

2. Problemas ao fechar as contas 

Outro desafio enfrentado na indústria é chegar ao final de um período e as contas não fecharem, onde na maioria das vezes, isso é causado por esquecimentos ou então ficam devido à falta de receitas para liquidar esses custos.

Aliás, uma das principais razões disso ocorrer é o gestor não ter um controle efetivo do seu setor financeiro, o qual muitas vezes, ainda usa-se de recursos manuais, com pouca utilização da tecnologia.

O que fazer?

No intuito de saber o destinos dos recursos da empresa, é necessário levantar:

  • Onde foi aplicado o dinheiro do negócio;
  • Quanto foi faturado no período e;
  • Quais são as contas que custam mais aos cofres da empresa.

Depois de saber esses dados, o ideal é prestar atenção às despesas do negócio. Também é primordial entender qual a margem de lucro que está vigorando no momento.

Em resumo,  dependendo do valor da margem de lucro, pode ser necessário recorrer a duas soluções: ou a indústria vai diminuir as despesas aumentando a produtividade, ou então será preciso escolher fornecedores mais baratos para fortalecer o caixa.

É importante utilizar relatórios para entender como anda a saúde financeira da empresa e o destino dos recursos. O Demonstrativo de Resultado de Exercício, DRE, e o relatório de Fluxo de Caixa, são os mais comuns nesses casos.

Com eles você pode analisar melhor o que está acontecendo com o seu dinheiro e planejar ações para melhorar os resultados.

3. Clientes abusando dos descontos

Esse problema começa a gerar dores de cabeça quando muitos clientes não enxergam o real valor do seu produto, e passam a cobrar um valor mais barato, o qual, com o tempo, começa a custar caro para o caixa da empresa.

O que fazer?

É importante direcionar o departamento de marketing e vendas no sentido de promover o valor real do seu produto, isto é, mostrando aos consumidores o que eles vão ganhar de benefícios ao comprar seu produto.

Logo, o recomendado é focar em campanhas que reforcem as dores e necessidades resolvidos pelo produto da sua indústria. 

Dessa forma, os clientes começarão a enxergar a utilidade dos bens produzidos por seu estabelecimento e não terão “pena” de pagar o preço estipulado.

4. Desmotivação da equipe

A desmotivação no trabalho tem a ver com a falta de projeção dos colaboradores dentro da indústria, ao mesmo tempo que o ambiente de trabalho não é acolhedor e amistoso.

O trabalho em uma fábrica muitas vezes é pesado e desgastante, ao mesmo tempo que a performance da produção depende diretamente da performance dos colaboradores.

Por isso, é vital dar atenção ao bem estar dos funcionários.

O que fazer?

O gestor deve investir no desenvolvimento dos funcionários e reconhecer o serviço prestado por eles, de forma genuína. Assim, elogios, bônus salariais e prêmios de reconhecimento são sempre bem-vistos pelos profissionais.

5. Muito esforço e poucos resultados

Isso é comum quando o empresário trabalha duro e vê poucos frutos desse trabalho à vista, tornando sua perspectiva de crescimento negativa.

Geralmente, o foco excessivo nos comandos operacionais costumam ser o causador dessa situação.

O que fazer?

É fundamental delegar tarefas para os funcionários capacitados, devendo prestar apoio a eles sempre que necessário. 

Depois, torna-se interessante avaliar os pontos críticos da empresa e que demandam mais cuidado, para que desse jeito, sejam traçadas estratégias diferenciadas para cada ocasião.

Conclusão

Como vimos, existem vários desafios comuns a pequenas indústrias. São dificuldades enfrentadas com frequência por quem empreende com esse tipo de empresa.

E, apesar de desafiador, esse trabalho pode ser muito recompensador quando feito com responsabilidade e de maneira legal.

Ainda assim, é comum surgir um certo desânimo quando as coisas parecem não melhorar, mesmo o gestor aplicando as técnicas que mencionamos no decorrer do artigo.

Por isso, é importante ter resiliência e planejar bem suas ações, além de contar com ferramentas que vão te ajudar a obter resultados melhores.

Uma ferramenta indispensável é um bom sistema de gestão em nuvem, como o Sensio ERP. Ele foi pensado e desenvolvido para pequenas indústrias, com controle visual da produção, integração automática de vendas e compras com estoque, e controle de estoque multi depósitos.

Vendas, Financeiro (com DRE e Fluxo de Caixa), Estoque, Produção e Fiscal, todos integrados em uma única plataforma com dados precisos e consistentes. Conheça o Sensio ERP e faça um teste grátis.

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Obrigado! Logo você irá começar a receber nosso conteúdo
Oops! Something went wrong while submitting the form.