O que é chão de fábrica e como torná-lo eficiente

Controlar o chão de fábrica é uma tarefa muito importante e que não deve ser negligenciada em pequenas fábricas. Nesse artigo explicamos o que é e damos algumas dicas para um controle eficiente.

Luiz Pires
Produção

Administrar a produção de uma fábrica não é das tarefas mais simples.

São muitos os fatores envolvidos para que um produto industrial chegue ao cliente com qualidade, preço baixo e rapidamente.

Para os gerentes de produção, é muito comum uma formação muito focada em planejamento, e com pouca ênfase na administração do dia a dia do que acontece no local mais importante: o chão de fábrica.

Você que é gestor de uma pequena fábrica, acredita que conhece a fundo os detalhes dessa parte essencial da sua empresa? Isso é primordial, pois saber essas características significam ganho de tempo e dinheiro.

Ainda que faça parte do seu estabelecimento, o chão de fábrica se destaca dentre os demais espaços porque é nele que a “mágica” acontece: todo o processo de confecção de produtos é feito nesse ambiente.

Assim, ao saber como funcionam cada uma das etapas, é possível acessar dados relevantes, como o tempo necessário para terminar uma dada peça, como cada colaborador trabalha, etc.

Enfim, estar por dentro do que acontece no chão da sua fábrica viabiliza que você entenda melhor seu negócio, ajudando na tomada de decisões assertivas. Logo, investir nessa descoberta traz inúmeros benefícios para o seu empreendimento.

Então, se você quer entender o que é chão de fábrica e como administrá-lo para o tornar eficiente, leia o artigo de hoje!

Chão de fábrica: o que é?

Chão de fábrica é o local onde os processos industriais são feitos, ou seja, o espaço onde é realizado todo o ciclo de produção dos bens comercializados pela empresa.

Esse espaço pode ser um galpão, uma instalação, um pátio ou qualquer outro ambiente que concentre os funcionários e o maquinário necessário para a linha de produção operar.

Portanto, o chão de fábrica é a parte chave de uma empresa, onde a tecnologia das máquinas se encontra com a força laboral para produzir os itens que consumimos e utilizamos no dia a dia.

Duas características muito importantes dos processos no chão de fábrica, que influenciam a maneira como é realizada a gestão das operações produtivas, são a interdependências entre atividades e a variabilidade.

Por interdependência entre atividades queremos dizer que é necessário seguir um roteiro para a produção de um item. Você pode até realizar algumas etapas em paralelo, dependendo da natureza do item, mas não pode realizar a embalagem antes da pintura, por exemplo.

E por variabilidade, queremos dizer que existem muitos fatores que não podem ser previstos com exatidão: a qualidade de uma matéria-prima, a falta de um colaborador, a quebra de uma máquina, etc.

Por isso, o planejamento nem sempre sai como esperado (quase sempre não) dentro de uma fábrica e é no chão de fábrica que devem ser tomadas as decisões de gerenciamento do processo produtivo com eficiência, qualidade e velocidade.

Como é o trabalho no chão de fábrica?

As tarefas do chão de fábrica vão desde atividades mais simples (como limpeza de maquinário) até atividades mais complexas, como programação de inteligência artificial e/ou robôs.

No decorrer do processo, os colaboradores controlam e monitoram máquinas a fim de o trabalho ser realizado na seguinte lógica:

  • A matéria-prima é recebida;
  • Depois ocorre a transformação dos insumos em mercadorias;
  • Por fim, vem a confecção final dos produtos.

Em resumo, é nesse espaço que as peças são feitas e distribuídas para os outros departamentos.

Qual é a importância do chão de fábrica?

Em muitos casos, a solução para melhorar a produção e capacidade produtiva de uma indústria nem sempre se resume apenas na contratação de novos equipamentos e recursos humanos, pois também é necessário cuidar de todas as áreas estratégicas da empresa.

Nesse caso, traçar metas e planos para otimizar as atividades do chão de fábrica pode ser útil para melhorar esse processo.

Afinal, ao melhorar os principais aspectos desse setor, monitorando as ações e procurando diagnósticos para os problemas, será mais fácil obter os seguintes resultados:

  • Melhorias em toda a cadeia produtiva;
  • Diminuir falhas humanas e reduzir custos;
  • Encontrar soluções para problemas;
  • Melhorar as condições de trabalho das equipes;
  • Estabelecer um crescimento saudável para empresa;
  • Avaliar os recursos mais sobrecarregados e mais ociosos da fábrica;
  • Planejar o chão de fábrica;
  • Acompanhar o andamento da produção;
  • Monitorar os recursos da fábrica em tempo real;
  • Estabelecer políticas de premiação de funcionários;
  • Analisar a produção por recurso.

Erros comuns no chão de fábrica

Em qualquer indústria, o chão de fábrica é o setor estratégico que funciona como a engrenagem de todo o sistema produtivo. Quando os gestores realizam uma gestão eficiente, ele funciona de forma plena e todas as operações são facilmente controladas. 

Mas apesar disso, alguns erros comuns podem comprometer a eficiência da linha de produção. Vamos conferir algumas situações:

1. Falta de organização e limpeza resulta em processos falhos

Para evitar os erros comuns no chão de fábrica é preciso ter organização. Nesse caso, estamos falando de um processo que inicia na  movimentação de mercadorias até a limpeza do local e espaço onde a produção acontece. 

Esse tipo de controle pode ser realizado por etapas, e deve fazer parte do dia a dia e da cultura da empresa. Como resultado o chão de fábrica pode: 

  • Localizar rapidamente aquilo que precisamos;
  • Evita duplicidade de informações;
  • Facilita o fluxo de informação e de produção.

Assim, ao encurtar distâncias, economizar tempo e favorecer o melhor desempenho das pessoas, será mais fácil conquistar um crescimento saudável.

2. Falta de interesse e desmotivação dos funcionários

O segundo erro mais comum no chão de fábrica tem a ver com a falta de treinamento. A motivação e o interesse no trabalho está diretamente ligada com esse aspecto. Por isso essa etapa é muito importante para promover melhorias e aumentar a produtividade da empresa.

Nesse sentido, é essencial ouvir todos os funcionários da empresa e estimular o engajamento, sempre com o objetivo de solucionar problemas que afetam os objetivos do trabalho.

Com isso, além da transparência da organização, todos devem entender o negócio, a missão, o grande propósito e plano de negócios, e o fluxo rápido e contínuo de informações.

3. Ausência de checklists e processos

É importante criar um conjunto de indicadores que retratam a real situação da empresa. Assim os gestores passam a ter um controle melhor do que acontece, mapeando todas as etapas que podem ser melhoradas ou substituídas.

Nesse sentido, o ideal é usar checklist para demonstrar que todas as atividades relacionadas a resultados, melhorias ou inovações passam pela necessidade de um diagnóstico - que, por sua vez, precisa ser analisado à luz de fatos e dados.

4. Falta de manutenção

A falta de cuidado com as máquinas, equipamentos e instalações prediais é um dos erros mais comuns do chão de fábrica. Esses patrimônios precisam ser conservados e mantidos em perfeitas condições para que todo o andamento produtivo não saia prejudicado.

Com um bom programa de manutenção é possível melhorar outros aspectos, assim como os que citamos anteriormente. São eles:

  • Treinamento;
  • Organização;
  • Acompanhar acompanhamento com checklist.

Esse processo é fundamental para avaliar as horas de operação, o desempenho dos equipamentos e garantir bons resultados, além da melhoria contínua daquilo que foi proposto como importante dentro das metas de produção.

5. Falta de matéria-prima

Os motivos para a falta de matéria-prima são: 

  • Planejamento ou registro de produtos mal executados,
  • Uso de recursos de processamento de dados incompletos ou incapacidade de rastrear resultados, 
  • Perdas por obsolescência, prazos de validade ou especificações de compra diferentes desses projetos.

Outra possibilidade de perda de matéria-prima é um defeito por manuseio ou mão de obra inadequada, o que significa produzir um produto defeituoso ou de qualidade inferior ao esperado.

Para corrigir isso, o controle do estoque de matéria-prima é prioridade e deve ser mantido, calculado e gerenciado.

Para isso, é importante definir a curva ABC para o material, o estoque de segurança e os pontos de reabastecimento para cada item, todos relevantes para o planejamento da produção.

6. Falta de confiança nos fornecedores

A Produção de uma indústria depende dos produtos e serviços oferecidos por outras empresas. Se estas fontes são ocasionalmente de má qualidade ou se o serviço não é confiável, é provável que a produtividade diminua, enfrentando atrasos que impactam a experiência do consumidor final. Por isso, também é importante estabelecer uma relação de confiança com os fornecedores.

De que forma é possível tornar o chão de fábrica eficiente? 

No intuito de que a prática saia conforme o planejamento, é vital manter o controle e organização no chão de fábrica. Para isso, é fundamental automatizar os processos, de maneira a alinhar as tarefas industriais.

Essas ações são imprescindíveis para aumentar a segurança no espaço laboral, diminuir a quantidade de retrabalhos e garantir o padrão dos produtos. 

Então, fique ligado no que é preciso fazer para tornar o chão de fábrica eficiente:

Controle o chão de fábrica

O controle do chão de fábrica pode ser efetivado de diferentes modos. 

Entre eles, estão os métodos anti-desperdício, como a filosofia de Lean Manufacturing e os softwares de gestão ERP, uma tecnologia que tabela, analisa, organiza e aponta resultados sobre a produção.

Além desses, podemos citar o PCP, que é o Planejamento do Controle de Produção, um plano de gestão estratégico dentro das empresas.

Técnicas que podem auxiliar no controle do chão de fábrica: previsão de demanda dos itens, análise da capacidade da fábrica, programas de garantia de qualidade, etc.

Delimite o espaço do chão de fábrica

Como a maioria dos funcionários trabalha diretamente na linha de produção, eles sabem perfeitamente como se dão os processos produtivos. 

Então, isso quer dizer que eles precisam se sentir motivados e acolhidos pela companhia, no intuito de gerarem melhores resultados na produção.

Afinal, funcionário motivado rende mais! Segundo uma pesquisa da Universidade Warwick (Reino Unido), os colaboradores motivados produzem 12% a mais do que aqueles que estão insatisfeitos.

Dessa forma, procure reconhecer o esforço do seu corpo de trabalho, reforçando suas qualidades e oferecendo capacitações para melhorar as habilidades pessoais e profissionais.

Realize a administração de pessoas no chão de fábrica

Quando falamos de fábrica, não é permitido vacilar com a segurança. 

Por isso, a primeira ação é assegurar equipamentos de EPIs para toda a equipe, isto é, tudo de acordo com a legislação vigente. Também é interessante fazer reuniões para conscientizar sobre essa norma.

Ademais, com o propósito de que as operações corram com normalidade, faz-se útil demarcar a posição dos servidores no chão da fábrica. O mesmo vale para o maquinário.

Um hábito bastante comum e eficaz é estabelecer esses limites por meio de fitas adesivas, usando-as, por exemplo, para mostrar onde se encontram determinados equipamentos.

Por fim, o espaço-limite onde os visitantes devem ficar deve ser definido para evitar acidentes.

Sinalize o chão de fábrica

Assim como os ambientes, é necessário sinalizar o chão da fábrica. Nessa empreitada, é válido utilizar adesivos, faixas com informações, painéis digitais.

Isso é importante a fim de garantir a segurança de todos, além de tornar a cadeia produtiva mais ágil.

Obtenha equipamentos eficientes para sua produção

Se você quer alcançar resultados positivos com mais facilidade, o investimento em equipamentos de qualidade se tornam essenciais para aumentar a produtividade da fábrica.

Afinal de contas, somente por meio de um maquinário moderno é que o tempo e demais processos são otimizados, aptos a gerarem economia.

A boa notícia é que há no mercado diversas alternativas com custos acessíveis, e o melhor: que guardam várias vantagens para seu empreendimento.

Colete e analise dados

É impossível saber se você está indo bem se você não medir o que está fazendo.

Existem diversos indicadores importantes para avaliar o desempenho de uma fábrica, e podemos agrupar os objetivos em 5 grupos:

  • Qualidade
  • Velocidade
  • Confiabilidade
  • Flexibilidade
  • Custo

É importante definir os indicadores que fazem mais sentido para sua fábrica, e começar a coletar dados desses indicadores, registrando-os para uma análise temporal.

Assim, você consegue medir o resultado das ações que implementa no dia a dia do controle do chão de fábrica e adequar o rumo, se necessário.

A Indústria 4.0 no Chão de fábrica

Depois de entender o significado do chão de fábrica, é importante saber que a manufatura avançada já foi adotada por inúmeras empresas e seu objetivo é torná-las mais inteligentes usando recursos técnicos como big data, Internet das Coisas e inteligência artificial.

Para que o conceito de Indústria 4.0 apareça mais nas organizações, as máquinas precisam se comunicar entre si e com seus operadores e monitores. Nesse caso, o gerente de chão de fábrica se destaca e tem a responsabilidade de melhorar o processo. Conheça a seguir uma forma de fomentar melhorias para esse tipo de rotina. 

Lean manufacturing: a produtividade do chão de fábrica

Com as transformações vindas da Indústria 4.0, alguns conceitos de gestão e as inovações tecnológicas precisam ser colocadas em prática para melhorar o nível competitivo das indústrias. Afinal, nada adianta ter sensores de vibração ou incluir drones nas rotinas de manutenção, se não houver um processo que faça uso dos dados fornecidos.

Um modelo que tem ganhado espaço dentro dessa nova perspectiva é o lean manufacturing, também conhecido como manufatura enxuta. Esse método foi desenvolvido com o objetivo reduzir custos e aumentar a produtividade das indústrias. A ideologia defendida aqui é evitar desperdícios e, para isso, é fundamental ter um controle detalhista de toda a produção da empresa.  

A seguir, vamos apresentar alguns desperdícios que o Lean manufacturing considera e que podem ser um ponto de atenção para sua empresa. Vejamos:

Transporte: o deslocamento das equipes para atividades que não acontecem é um desperdício de tempo. Isso tem impacto direto na produtividade do serviço, o que demanda  atenção e planejamento para que não ocorra.

Movimentação: Ambientes desorganizados prejudicam o andamento do trabalho, dificultando o acesso às informações, ferramentas, documentos e outros itens indispensáveis para a qualidade das entregas.

Defeitos: É comum haver erros e falhas em produtos acabados, mas isso é um sinal claro de ineficiência. Nesse caso, é essencial acompanhar os processos de produção, a fim de evitar o problema.

Espera: a ociosidade é um problema sério. Os funcionários que ficam aguardando instruções dos superiores, parando a engrenagem da cadeia produtiva também são exemplos de perda na produtividade.

Produção excessiva: fabricar mais que o necessário é, sem dúvidas, uma grande fonte de desperdício. 

Processamento impróprio: são etapas de produção que não agregam valor ao produto final ou afetam sua qualidade. 

Estoque: possuir um estoque maior que o necessário atrapalha a visualização das necessidades da indústria.

Concluímos esse tópico, mostrando que é fundamental aliar o PCP com a metodologia do lean manufacturing. Ao mapear todas as atividades e processos, é mais fácil identificar os gargalos, os desperdícios e traçar estratégias para solucioná-los.

Como acompanhar o trabalho do chão de fábrica de perto?

Existem muitas ferramentas capazes de tornar o trabalho do chão de fábrica mais eficiente, rápido e organizado.  Hoje em dia, um sistema de gestão integrado ajuda os gestores a coletar informações, automatizar processos e criar perspectivas,  por meio de relatórios e insights,  para construir uma visão completa de todo o processo produtivo.

 Como resultado podemos citar algumas vantagens. São elas:

  • Avaliar diariamente os recursos mais ociosos e sobrecarregados;
  • Planejamento de todo o processo de produção;
  • Monitoramento métrico baseado em integração de dados e monitoramento em tempo real da produtividade dos equipamentos;
  • Analisar diversos indicadores de crescimento da empresa e confiança na tomada de decisões.

Conclusão

Como vimos, o chão de fábrica é fundamental para uma indústria, pois quando ele é bem dirigido, pode-se obter um melhor controle da cadeia de produção, bem como acompanhar e avaliar o andamento e saída dos pedidos.

Aliás, conhecer bem esse ambiente permite ao empreendedor tomar melhores decisões, principalmente quando ocorre algum imprevisto, situação que pode colocar em risco a saúde do negócio em risco se não houver conhecimento suficiente do gestor.

Por outro lado, a tecnologia vem ajudando bastante a indústria ao oferecer ferramentas  de controle, desempenho da empresa, viabilizando o crescimento da mesma.

Com a ajuda de um software ERP voltado para pequenas indústrias, você pode planejar e controlar sua produção de maneira muito mais eficiente.

O Sensio é um sistema de gestão que pode te auxiliar nesse processo, com controle visual do processo produtivo por meio de quadro Kanban, saídas e entradas automáticas no estoque, montagem da composição dos produtos e previsão de demanda dos itens por Inteligência Artificial. Conheça o Sensio ERP e faça um teste grátis.

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Obrigado! Logo você irá começar a receber nosso conteúdo
Oops! Something went wrong while submitting the form.