Como controlar a movimentação de materiais na fábrica

A movimentação de materiais em uma fábrica ou distribuidora é uma atividade importante e que geralmente toma bastante tempo dos colaboradores. Conheça aqui algumas dicas para controlar melhor essa movimentação.

Luiz Pires
Produção

Armazenar um material mais perto da atividade onde ele é demandado ou no almoxarifado onde é mais fácil controlar seu consumo? Utilizar os lotes mais antigos primeiro ou os que estão com maior facilidade de transportar?

Se você trabalha em uma fábrica ou distribuidora sabe o quanto é complexo controlar a movimentação de materiais nesse tipo de empresa. 

Isso porque, de acordo com o tamanho do negócio, o número de insumos tende a ser maior, fazendo a tarefa ser ainda mais desafiadora.

Então, é preciso que o gestor saiba usar as ferramentas certas para garantir a qualidade do processo produtivo, visando assegurar não apenas estoque suficiente para as demandas da companhia, mas também um processo eficiente de movimentação dos materiais, tanto matérias-primas quanto produtos acabados.

Se você parar no chão de fábrica para observar, vai perceber que em geral uma parcela grande do tempo dos colaboradores é gasta na movimentação dos materiais.

Isso envolve tanto a entrada das matérias-primas, a expedição dos produtos acabados, como principalmente a movimentação de peças entre as atividades do processo produtivo.

Pensando nisso, no artigo de hoje vamos falar sobre como fazer uma boa movimentação dos materiais no meio industrial. Continue a leitura e fique por dentro.

O que considerar na movimentação de materiais

Antes de partir para as ações de movimentação do estoque, é necessário conhecer os objetivos que estão por trás dessa proposta. 

Afinal, movimentar materiais industriais significa passar matérias-primas de um local para outro - tanto dentro da fábrica, como fora dela.

Dessa maneira, para que esse processo saia com fluidez e coerência, pelo menos quatro fundamentos devem ser seguidos à risca: o armazenamento correto dos materiais, o planejamento eficaz, a padronização dos processos e a automatização das tarefas. 

Armazenamento correto dos materiais

Para que o processo de movimentação de materiais no ambiente industrial seja eficiente, uma etapa anterior fundamental é o armazenamento desses itens.

Como é o seu estoque? Ele dá condições para que você possa definir estratégias eficazes de transporte?

Por exemplo, é possível acessar os materiais com as mãos ou é necessário um equipamento? Em uma tentativa de economizar espaço horizontal temos visto cada vez mais locais de armazenamento verticais, acessíveis apenas por empilhadeiras.

E quanto à maneira que são agrupados e armazenados? Se uma atividade no processo produtivo precisar de apenas uma unidade, é possível conseguir ou consigo apenas retirar e transportar um grupo?

São várias as questões relacionadas ao armazenamento que influem no transporte dos itens. Escrevemos aqui no nosso blog um artigo completo com dicas de como armazenar de maneira eficiente a matéria-prima, confira aqui.

Planejamento eficaz

A tarefa de transferir materiais é antecedida pelo bom e velho planejamento. Esse é o momento perfeito para o empresário ter uma visão do futuro e prever as dificuldades que pode enfrentar, podendo dessa forma, se preparar para combater os desafios.

Diferente do improviso, o planejamento tem a função de prevenir problemas que tendem a acontecer em um espaço de tempo consideravelmente próximo. Através dele, o gestor para e analisa sobre os impactos que determinada situação pode causar. 

Padronização dos processos

Uma sequência de atividades é a definição mais básica de um processo. Assim, padronizar um processo quer dizer que ele será feito sempre da mesma maneira. Mas, por que fazer essa repetição? 

Simples. Uma vez que a repetição se baseia nas boas práticas de administração do negócio, padronizar tarefas viabilizam que elas sejam sempre feitas com ótima qualidade.

Entretanto, isso não impede que em algumas situações ocorra flexibilidade, mas em um sentido amplo, a padronização garante mais produtividade para os colaboradores e a empresa como um todo.

Padronizar é investir em eficiência, e mesmo que no início possa ser mais trabalhoso, com o tempo o retorno é grande e não só irá facilitar a rotina, como também evitar erros.

Automatização das tarefas

Automatizar tarefas influencia na capacidade de acabar com falhas humanas, próprias de atividades repetitivas e mecânicas, sem o uso da tecnologia.

Baseada na infraestrutura de peças, assim como nos sistemas de controle das atividades, a automatização possibilita muitas vantagens. 

Além de facilitar a manutenção dos equipamentos da fábrica, as condições de trabalho dos trabalhadores é melhorada, viabilizando mais segurança e motivação. Por fim, a produtividade tende a crescer, dado que o tempo e formato das tarefas é reduzido e simplificado. 

A seguir, confira alguns passos que farão você ter controle sobre a movimentação de materiais na sua fábrica.

1. Organize o espaço físico

Os insumos precisam ser colocados de maneira organizada, sendo possível guardar, achar e deslocar os itens facilmente. 

Logo, para cumprir esse passo, escolha partes específicas para os tipos de produtos e armazene-os em prateleiras, numa espécie de endereço de margem.

Assim, sempre que chegarem novas matérias-primas, elas devem ser identificadas, colocadas etiquetas e direcionadas ao local reservado àquela categoria.

2. Acompanhe as normas vigentes

A depender do material, a forma de armazenagem e de manejo é regulada por determinadas normas, ou seja, uma legislação diferente para cada peça.

Geralmente, grande parte dos produtos passa pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa, uma organização que regula os materiais farmacêuticos, alimentícios e agropecuários.

Lembrando que não há uma regra padrão, pois cada categoria de material carrega uma legislação diferente.

3. Registre as entradas e saídas

Registrar as movimentações tem a ver com tomar nota de todas as “mudanças de endereço” que um dado item percorre.

Desse jeito, nunca deixe de registrar quando um material entra ou sai do estoque, ou mesmo quando ele muda de lugar dentro ou fora da empresa. A Nota Fiscal, as Ordens de Produção e a Requisição de Material são algumas formas de documentar esse trajeto.

Um bom sistema de gestão pode fazer isso de maneira automática e evitar divergências e falta de precisão nos dados.

4. Use inventários frequentemente

Produzir inventários é uma maneira eficiente de controlar a movimentação de materiais na fábrica. 

Isso se deve ao fato de que, apesar de haver outros tipos de registro, essa conferência de materiais é útil para diminuir a possibilidade de erros manuais, viabilizando a correção de falhas antes que aconteçam transtornos mais sérios.

5. Integre as operações da fábrica

Dentro de uma indústria, é relevante estabelecer o acordo de que todas as operações são desenvolvidas em prol de um objetivo em comum. Assim, isso faz com que as áreas sejam interligadas entre si.

Portanto, aquilo que acontecer no estoque pode (e deve) servir de apoio para os outros setores da instituição, como o campo de produção, financeiro, planejamento, dentre outros.

Logo, um meio de associar um departamento ao outro de maneira eficiente consiste em adotar um sistema de gestão capaz de integrar as informações dos vários setores da empresa.

6. Automatize a gestão de materiais

Com um sistema de gestão integrado, sua indústria tem um ganho na automatização dos processos, por meio das facilidades da gestão de materiais.

Sabendo que o setor industrial é bem acostumado a automatizar tarefas, levar essa decisão a sério é um passo indispensável para todos os que almejam se manter competitivos no setor.

Conclusão

Como foi possível perceber, em um mundo tão moderno como o atual não dá para continuar fazendo a movimentação de materiais da fábrica de forma lenta e problemática.

É hora de dar chance à tecnologia, utilizando recursos que facilitam a rotina do empreendedor dono de pequenas indústrias, garantindo a redução de custos, evitando desperdícios e aumentando os ganhos nas diversas áreas do empreendimento.

Portanto, um sistema ERP é uma ferramenta eficaz para colocar sua empresa em um patamar de destaque no mercado competitivo.

Nesse sentido, possuir um sistema de gestão integrada torna a transferência de materiais um processo dinâmico e de rápido acesso. Com o sistema Sensio para pequenas indústrias, o gestor tem total controle sobre sua produção, entrada e saída de estoque e muitos mais.

Registros de movimentações automáticos, controle completo do processo produtivo e relatórios precisos fazem com que o Sensio seja a melhor opção para pequenas indústrias e distribuidoras. Conheça o Sensio ERP e faça um teste grátis.

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Obrigado! Logo você irá começar a receber nosso conteúdo
Oops! Something went wrong while submitting the form.