O poder da Ficha Técnica de Produto

Muito usada no ramo alimentício, a ficha técnica também pode ser usada em outras áreas, ela serve como um norte e uma forma de padronizar a produção. Quer saber como montar uma ficha técnica de forma eficiente para o seu negócio? Então, não deixe de ler esse conteúdo!

Luiza Caroliny
Produção

A ficha  técnica é peça fundamental no controle da qualidade, para estimar os custos de produção e para organização geral de uma empresa. 

Com as informações apresentadas neste documento, a padronização do serviço fica mais rigorosa e eficiente. É só seguir o planejamento com as quantidades e itens descritos por ela. 

No post de hoje, vamos explicar em detalhes o que é a ficha técnica de produto, quais seus benefícios e como adotá-la. 

Se você é um microempreendedor, pegue sua caneta e anote tudo!

O que é Ficha Técnica de Produto?

A ficha técnica é uma tabela onde são listados todos os insumos e etapas necessários para as operações de uma cadeia produtiva. 

Ou seja, neste documento consta todos os dados necessários para a realização ou preparação de determinadas mercadorias, o que o torna muito utilizado em indústrias de todos os portes e de diferentes segmentos. 

Também por esse motivo, as informações dessa solução devem ser precisas e objetivas, registrando exatamente o que precisa ser feito para a fabricação de um produto de qualidade

Na prática, a ficha técnica registra:

  • O nome do item;
  • Os custos dos insumos;
  • O tempo de execução;
  • Os fornecedores;
  • Os equipamentos utilizados;
  • As possíveis perdas;
  • A mão de obra;
  • O custo final, as especificações de armazenamento; 
  • Os impostos;
  • A quantidade;
  • Os encargos;
  • Os custos administrativos;
  • As imagens;
  • As instruções especiais;
  • Os suprimentos;
  • Entre outras informações relevantes para a produção.

Mas vale ressaltar que nem sempre todas essas informações serão necessárias ou estarão expostas em um único documento. 

Em síntese, uma ficha técnica deve conter no mínimo:

  • A quantidade de cada material usado nessa produção;
  • As unidades de medida utilizadas;
  • Quais utensílios são usados na produção;
  • E o passo a passo para a fabricação do produto.

Com essas informações, qualquer colaborador consegue executar o processo produtivo e todas as etapas que serão realizadas até obter o produto final, de forma padronizada, para que todas as mercadorias sejam feitas de acordo com as descrições do registro. 

Tipos

Ficha técnica operacional

A ficha operacional é utilizada para detalhar o processo operacional dos produtos oferecidos pela indústria aos seus clientes. Nela, são incluídas unidades de medidas de insumos e todas as informações necessárias para a produção de um produto. 

Por essa razão, as instruções são claras e objetivas para que todos os colaboradores consigam compreendê-las e segui-las. Se um profissional faltar ao trabalho, outro poderá ocupar o seu lugar e dar continuidade ao processo de produção sem encontrar qualquer dificuldade. Os resultados serão sempre idênticos, não importa quem esteja realizando as atividades.

Ficha técnica gerencial

A ficha técnica gerencial é o oposto da operacional. Ela procura especificar os custos de cada insumo que será utilizado no processo produtivo. 

O documento contém o detalhamento do preço dos itens, o custo da produção e informa todos os recursos financeiros que serão utilizados para produção do produto final. 

A partir dessas informações, os gestores conseguem formar os preços de venda dos produtos. O detalhamento de despesas fornece dados relevantes para definir a margem de lucro e outros indicadores financeiros importantes.

Quais os benefícios de criar uma na sua empresa?

O uso da ficha técnica é extremamente eficaz e  traz uma série de benefícios para as indústrias que a utilizam.

Dentre as principais vantagens podemos citar a padronização que essa ferramenta gera, ajudando a desenvolver um padrão de qualidade. 

Neste caso, também é possível aumentar a produtividade dos colaboradores, tornando a empresa mais competitiva perante ao seus concorrentes.

Isso porque esse documento traz o valor de cada material envolvido na produção dos itens. 

E com isso, a indústria consegue otimizar e controlar os custos desse processo, tomando decisões mais inteligentes a respeito dos gastos. 

A  utilização da ficha técnica nas indústrias também contribui para o desenvolvimento e a manutenção de boas práticas durante as rotinas de trabalho ao possibilitar a  implementação de checklist para facilitar o processo de auditorias. 

Por fim, uma ficha técnica traz a quantidade de cada item e isso evita o desperdício de material.  Isso gera uma diminuição com gastos desnecessários, principalmente quando o assunto é inutilidade de estoque.

Dicas de como montar uma Ficha Técnica de Produto

A ficha técnica é fundamental para os processos industriais e foi exatamente isso que mostramos ao longo deste artigo. 

Por mais que seja necessário uma série de informações, a construção desse arquivo não exige nenhuma complexidade na hora de ser feita.

Fizemos um passo a passo para ajudar você a montar a sua e para melhorar a explicação usaremos a fabricação de uma cadeira como exemplo. Confira a lista:

Passo 1: Você precisa fazer uma lista de materiais e anotar tudo aquilo que é usado para fabricar o item em questão. 

Na ficha, faça uma coluna destinada a essa etapa e não deixe nenhum material de fora: matérias-primas, ingredientes e utensílios, por exemplo.  

Você vai gostar de ler: O que é uma Lista de Materiais (BOM) e como criar uma?

Passo 2: Identificar qual material corresponde a cada etapa de produção do item fabricado. Separe os momentos do processo de fabricação de acordo com os itens utilizados em cada etapa.  

Passo 3: Criar um código SKU  (Stock Keeping Unit ou Unidade de Manutenção de Estoque) para cada item. 

Ele é uma excelente forma de identificar cada um dos materiais, ajudando a organizar e controlar o estoque. 

Passo 4: Estabelecer as quantidades de cada material ou ingrediente utilizado na produção do item e as unidades de medida correspondentes.

Faça duas colunas à direita daquela dos materiais, uma para a quantidade dos itens e outra para o preço.

Dessa forma, o sistema converte diferentes unidades de medida de fornecedores e garante a quantidade de materiais certa para a produção.

Vale ressaltar que todas essas informações devem estar presentes no documento para garantir a padronização e a qualidade do produto fabricado.

Usando listas em tabelas de dados para verificação

As listas de verificação ou checklist são aliadas muito eficazes na hora de trabalhar com seus arquivos técnicos. Quando criamos uma ficha, estamos montando o processo de  entrada e saída de produtos, e usar um sistema de checagem é essencial.

Convém dizer que esse tipo de sistema pode ser utilizado como questionário no processo de controle do fluxo de perdas de insumos e baixas de estoque. Dessa forma, checklists e formulários tornam-se aliados na facilitação do processo de auditoria interna, auxiliando na manutenção do controle de qualidade da rede.

Erros no processo de montagem da ficha técnica de produto

Acabamos de ver um passo a passo para construir a ficha, mas embora o processo de construção seja simples, ele é passível de erros. 

Na hora de montar a sua ficha técnica de produto, por exemplo, é preciso evitar os problemas mais comuns do processo. São eles:

  • Errar o preço e/ou medida dos produtos;
  • Esquecer de registrar alguma matéria-prima de baixo valor;
  • Adicionar os custos de mão de obra na ficha técnica;
  • Usar a mesma ficha técnica para produtos diferentes e vice-versa.

Tome cuidado com esses erros, pois podem gerar prejuízos, perda da qualidade e comprometer a confiança das informações da fábrica.

Controle a produção da sua fábrica de forma integrada

Para construir uma ficha técnica é preciso tomar mais alguns cuidados. Dentre eles, podemos citar: 

  • Fabrique os produtos intermediários corretos;
  • Controle as perdas nos mínimos detalhes;
  • Tenha um ERP para integrar as informações de outros setores;
  • Fabrique produtos com qualidade;
  • Gerencie os estoques corretamente;
  • Entenda seus custos e forme preços de venda coerentes;
  • Tenha relatórios de produção que apoiem decisões corretas.

Para essa finalidade a Sensio pode ajudar! Nosso sistema ERP é completo e voltado para microempreendedores controlarem sua gestão de vendas, produção e estoque. 

Nele é possível criar a composição do produto e ter um relatório com essas informações, mostrando todos os dados da Lista de Materiais BOM da sua empresa, o que facilita a criação de uma ficha técnica e diminui as chances de falhas humanas. 

Além dessa facilidade, você também pode adicionar observações a sua composição, como o modo de fazer, e criar tarefas na Ordem de Produção para que seus colaboradores não percam nenhum processo na hora de finalizar um pedido. 

Ficou interessado e quer conhecer nosso ERP? Então, entre em contato com um dos nossos especialistas e faça seu teste grátis. 

Continue acompanhando nosso blog

Até a próxima!

Apenas conteúdo do blog, sem spam
Obrigado! Logo você irá começar a receber nosso conteúdo
Oops! Something went wrong while submitting the form.